Pular para o conteúdo principal


5 MOTIVOS DO PORQUE NÃO RECOMENDAMOS A OTOPLASTIA FECHADA.

A otoplastia fechada é uma técnica antiga de tratamento não definitivo das orelhas abertas, com pontos externos. Usa pontos inabsorvíveis, geralmente de nylon, na região da anti-hélix, com o objetivo de dobrar essa região e tracionar o terço superior das orelhas para trás. Não trata o excesso de pele, o excesso de concha e o lóbulo. Por isso, não resolve 97% das causas de orelhas em abano.

Confiram os 5 motivos do porque o Projeto Orelhinha NÃO RECOMENDA a otoplastia fechada: 

1. DOR INTENSA CRÔNICA: ao forçar a cartilagem da anti-hélix com pontos captonados de nylon, causa dor e edema intenso na região a longo prazo;

2. NÃO RESOLVE A GRANDE MAIORIA DOS CASOS: as orelhas em abano são geralmente causadas por 3 alterações nas orelhas : apagamento da anti-hélix, hipertrofia conchal e projeção da hélix. A otoplastia fechada pode resolver apenas o apagamento da anti-hélix, mas não tira o excesso de pele atrás das orelhas;

3. RISCO DE INFECÇÃO: os pontos de nylon são deixados no local, para manter a anti-hélix dobrada. Mas, o ponto é um material sintético, podendo se infectar e causar condrite (infecção da cartilagem), resultado em deformação estética grave;

4. RISCO DE EXPULSÃO DOS PONTOS: os pontos de nylon não são absorvíveis e geralmente o organismo expulsa ou extrusa o ponto, podendo causar ferimentos, necrose ou granulomas (tecido carnoso local);

5. ACÚMULO DE SECREÇÃO NO NÓ EXTERNO: o nó externo, que parece um cravo, acumula secreções expelidas da pele, causando odor fétido.  

Dr. Marcelo S. Assis
Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP)
Membro da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS)
Coordenador Médico Nacional do Projeto Orelhinha

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Orelha natural ou colada ?

Devo escolher orelhas mais coladas ou naturais ? Essa é uma dúvida frequente de pacientes que querem realizar a plástica das orelhas.  Quando o paciente é criança, recomenda-se que as orelhas sejam mais naturais, pois a otoplastia causa uma mudança grande no visual, que pode gerar dificuldade de aceitação do novo formato das orelhas. Quando o paciente é homem, depende do formato do rosto. Faces mais cheias, recomendamos orelhas mais naturais. Faces mais magras, como o da foto, pode ser solicitada orelhas mais coladas, pois resulta numa estética compatível. Pense bem na sua escolha, pois uma vez colada, a reversão é bem complicada. Participe do Projeto Orelhinha em Ação em sua cidade. Saiba mais em www.projetoorelhinha.com.br
A correção cirúrgica da macrotia ou orelhas grandes é uma cirurgia que poucos especialistas no Brasil fazem, por ser muito delicada e requer muito senso de design e estética. Geralmente é indicada para pessoas que tem a escafa grande, ou parte superior das orelhas em sua porção vertical e o tamanho horizontal acima de ponta superior a ponta inferior maior que 7 cm de comprimento. Pode ser feita a correção apenas da parte superior, melhorando o contorno, de toda a orelha, incluindo a redução do lóbulo (parte inferior) e ainda ser associada a otoplastia, para melhor posicionamento das orelhas. Pelo Projeto Orelhinha, o Dr. Marcelo S. Assis é o único especialista em Macrotia, onde realiza a técnica própria chamada de HPMS ( High Performance Otoplasty Surgery ), com excelentes resultados e 99% de satisfação. Todas as cirurgias são realizadas com anestesia local + sedação e o paciente tem alta no mesmo dia, geralmente até 1 h após o procedimento. O paciente sai do Hospital com o capacete de